"PoLiTiCaMeNTe iNCoRReTa!!"

sexta-feira, 30 de novembro de 2007

CaSaMoS


Gente,
Tive o casamento mais lindo que se possa imaginar..
Tudo na medida dos nossos sonhos e desejos..
Com direito a bolinha de sabão, bailarina,
música, fotos,brinde e tudo mais..
Ai...
Coisa mais linda...
Peço a todos os amados amigos que prestigiam meu blog, perdão, pela ausência, minha casa nova ainda não tem PC e estou trabalhando muito, sem tempo mesmo de postar, espero tão logo voltar, e espero mais ainda, sentir a deliciosa presença de vocês aqui, que sempre me enche de riso.
Vale lembrar que estou feliz demais!!!!!

Beijo na alma.

sábado, 27 de outubro de 2007

CoNViDo VoCê


Pra assistir nossa jura de amor..
Pra cantar com a gente ...
Pra sorrir com a gente...
Convido você,
Pra ouvir o sim que já dissemos mil vezes aos sussurros,
aos beijos e abraços...
O sim do pra sempre.

segunda-feira, 15 de outubro de 2007

PoeSia Do CHá De PaNeLa

Queridinhos, Sabem que estou há alguns dias do meu casamento. Estou exausta por causa da correria, mas estou muito feliz. Mas, quero nesse post, externar um pouquinho da sensação gostosa que estou sentindo com os eventos, chás de panela, sim, chás, porque tive três, e entrega de de convites e tal. A sensação é prazerosa demais e acho que essa poesia vai dizer um pouquinho. Um beijo pra vocês e desculpa a ausência, logo daqui uns dois meses, estarei escrevendo a todo vapor, mesmo porquê, sinto a maior falta de visitar os blogs e ler as pérolas do Rayol, Saramar, entre outros tantos poetas que adoro. Vamo lá:

PoeSia Do CHá De PaNeLa
entrega convitE

prova vestidO

aluga cadeirA

degusta docinhO

ganha vasilha no chá de panelA
um monte de coisa pra casa novA

e em cada forma de pudiM

um pedaço de gentE

essa gente que borra a nossa carA

que faz o noivo se vestir de mulheR
que faz a noiva comer bolacha de água e sal
e chamar o noivo de fofíssimo fofO!

que faz uma gosma melequenta e suja a gente sem dó ou piedadE.
em cada xícarazinha de porcelanA
um retrato de alguém que a gente amA
que entra na casa antes da gentE

que se alegra com a nossa conquistA
se tatuando na nossa vida novA.
gente que pinta nosso rostO
e um pedaço da nossa paredE

que entra no nosso guarda-roupA
e escolhe os lençóis da nossa camA

que se mete na nossa cozinhA
e escolhe as toalhas no nosso banheirO

gente que mora com a gente na casa ainda vaziA
gente que entra com a gentE
nessa delícia de vida novA

gente que deixou uma marquinhA
nessa casinha de amoR

amor em colherzinha de açúcaR

em joguinho de jantaR

em travessa de mousse de maracujÁ

com muita alegria e votos de que tudo vai dá certO

e que a gente vai chegar lÁ!!!

Obrigada gentE!!!!!!!

segunda-feira, 1 de outubro de 2007

...ToDo aMoR é PieGaS, e Se Não FoR, Que GRaÇa TeM?


...Continuo sonhando..
Depois dos vendavais, há brisa suave.
Posso sentir.
Depois da desértica miragem, oásis de amor.
Posso beber.
Sonho de te encontrar e em ti me tatuar.
Sonho de mergulhar no brilho que vi nesse teu olhar,
e nasci, e cresci e morri.
Ainda está lá.
Meu brilho de estrela
Meu sonho de flor
Meu cheiro de vida
Meu sonho de amor.

segunda-feira, 17 de setembro de 2007

eSTéRiL

Amigos, Vocês já passaram por fases de estúpida esterilidade? Então.. Estou passando por ela agora. E por isso, deixo-vos mais um Neruda, visto que é querido entre vós e para dar a ele a chance de se aparecer no meu blog!!!
Perco tudo, menos o humor!!!
Nesse, O Livro de Perguntas,
ele faz umas questões bem interessantes, [claro], e existenciais.
Que tal escolherem ao menos uma das questões e respondê-la??
Adoraria.. Beijo enorme e carinho.
Livro das Perguntas
Tem coisa mais bo
ba na vida que chamar-se Pablo Neruda?
Que vim fazer neste planeta?
A quem dirijo esta pergunta?
E que importância tenho eu no tribunal do esquecimento?
Não era verdade que Deus vivia no mundo da lua?
Minha poesia desgarrada
abr'olhos com estes olhos meus?
Por que me picam as pulgas e os sargentos da literatura?
Que dirão da minha poesia
os que não tocaram meu sangue?
Posso perguntar ao meu livro se eu mesmo o escrevi?
Desde quando?

Por que nas épocas obscuras se escreve com uma tinta extinta?
E por que detesto as cidades
com cheiro de mulher e urina?
Quem devorou rente aos meus olhos um tubarão cheio de pústulas?
Por que andam as ondas me indagando
sobre as mesmíssimas perguntas? Por que não nasci misterioso?
Por que cresci sem companhia?

Das tais virtudes que esqueci
dá pra fazer um terno novo?
Onde está o menino que fui:
anda comigo ou evaporou-se?
Sabe que nunca fui com ele nem ele comigo tampouco?
Por que estivemos tanto tempo
crescendo para essa ruptura?
Quando minha infância se foi por que nós dois não fomos junto?
Ainda ontem disse aos meus olhos: quando de novo nos veremos?
Não é melhor nunca que tarde
dentro de listões amarelos?
Em que janela me quedei em busca do tempo, se pulcro?
Ou o que diviso destes ermos
ainda não passa de futuro?
Que me esperava em Ilha Negra:
verdades verdes? Compostura?
Se morri e não me dei conta
morto, a'hora, a quem me pergunto?
Quem me mandou desvencilhar-me das portas do meu amor-próprio?
É verdade que um condor negro
sobrevoa minha pátria noite?
Que há de pesar mais na cintura:
padecimentos? memórias?
Que deu em mim de transmigrar se vivem no Chile meus ossos?
Por que me movo sem querer?
Por que estou sempre desinquieto?
E se minh'alma desabou por que meu esqueleto prossegue?
Por que vou girando sem rodas e voando sem asas nem penas?
Por que minha roupa desbotada se agita como uma bandeira?
E que bandeira tremulou
no espaço em que não me esqueceram?
Pois não foi onde me perderam
que eu me dei, enfim, por achado?
Esse onde onde termina o espaço
se chama de morte ou infinito?
Por que voltei à indiferença
do maroceano desmedido?
Achas que o luto te antecipa
à bandeira do teu destino?
Se caí no laço do mar
por que fechei os meus caminhos?
Que significa persistir no beco da morte-sem-saída?
E no mar do não-passa-nada
mortalha faz algum sentido?
Por que trabalham sal e açúcar
construindo-se uma torre branca?
Onde fica o umbigo do mar?

Por que até ali não chegam as ondas?

Foi das costas do mar que eu vim:
para onde vou quando me atalha? Não sentes também o perigo na gargalhada do maralto?
Onde terminará o arco-íris:
dentro da alma ou no horizonte?
Vejo de novo o mar ab ovo:
o mar me viu ou botou banca?
Não choras rodeado de risos
- só - com as garrafas do vazio?
Quanto media o polvo negro que obscureceu a paz do dia?
Não será nossa vida um túnel
entre duas vagas claridades?
Ou não será uma claridade entre dois triângulos escuros?
E não achas que a morte vinga dentro do sol de uma cereja?
Ou que em perigosas substâncias do não ser, a morte lateja?
Devo escolher esta manhã
entre o céu e o mar, tudo ou nada?
Quem sabe lá de onde é que vem a morte: de cima ou de baixo?
A morte não seria enfim
uma cozinha interminável?
Ou não seria a vida um peixe
preparado para ser pássaro?

sexta-feira, 14 de setembro de 2007

sE CaDa DiA Cai

Aos meus queridos, ofereço um poema de Pablo Neruda.

Se cada dia cai

Se cada dia cai, dentro de cada noite,
há um poço
onde a claridade está presa.

há que sentar-se na beira
do poço da sombra
e pescar luz caída
com paciência.

Pablo Neruda (Últimos Poemas)

segunda-feira, 10 de setembro de 2007

PRoJeÇão


Projeto-me para o futuro
Rumo certo em futuro incerto
Projeção de vida

Aspiração de projetos

Projeção de infantes
Pequenas sementes de gente grande.

Antes eu corria no pátio
Gente grande tomava café
Agora eu tomo café

Pequenos gigantes me agarram as pernas
Agarrando o futuro
Projetando o mundo

Projeção no meu mundo.

sexta-feira, 31 de agosto de 2007

BRaVa GeNTe


E estamos todos encurralados
Num bloco de nudez e trevas
O ar é rarefeito e denso

Cala nossa voz e disseca a esperança.

Povo caído no esquecimento
Gente com sede de paz
e justiça social

Gente que anda sem razão de viver
Buscando pão,
água, quiçá educação!


Que povo sofrido é esse?
Gente ferida, aguerrida, de mão calejada e espada de enxada?
Gente que luta de sol à sol, se espremendo em lotação
Dilacerado coração.
Esse povo sou eu,
é você, sou você e sou eu

Que avança destemido,
ao desespero e caos da nação.


segunda-feira, 27 de agosto de 2007

SoRrY

Queridos,
A faculdade tem me consumido muito tempo, por isso quase não tenho postado.. E os preparativos pra o meu casamento também! Então, quando eu tiver um tempinho pra pensar coisas boas de escrever, eu posto. Não esqueçam de mim, viu!!
Obrigada Ricardo Rayol, meu guru para assuntos aleatóreos.
Beijocas pra todos.
=]

terça-feira, 14 de agosto de 2007

Eu, eDiFíCio eM DiA de cHuVa



É assim que sou...
Um mexido das dores que senti.
Cada ferida aberta
Cada gota de sangue.
Sou feita de sorriso e de abraço
Feita de dor e perda.
Refeita em cada nota que cantei
Suspeita em cada tom que errei.
Desfeita em cada contradição
Refeita em suspiros e espirros.
Se quero que me tirem as dores?
Jamais!
Eu pulso em cada uma delas.
se quero que me tirem as flores?
Jamais!
Elas embelezaram meu caminho de pedra e odor.
As dores completam o quebra cabeça de mim
Complexo e perplexo.
Imagina como seria fútil o meu destino feito apenas de sorrisos!
Meus sorrisos e amores
Fazem de mim o que sou.
Minhas perdas e temores
Constroem o 'eu' autentico que me fez crescer.
Em resumo,
Não mudaria nenhum instante da minha vida,
tudo o que vivi me construiu.
Tudo o que senti, bom, mal, dor, pavor, amor, calor
Foi o que me fez erguer.
Inabalável, como edifício na chuva!

sábado, 11 de agosto de 2007

A cASa NoVa de DaNieLa

É..
Ela está de casa nova.
Disse que vai investir na vida.
Não quer nada como outrora
Nem o bom, nem o mau.
Quer tudo diferente.
Emoções diferentes.
Raios de sol em ângulos diferentes.
Goteiras em baldes diferentes.
Que as brigas sejam por motivos diferentes
Que os risos soem em tons diferentes.
E tem sala diferente
Pra receber novas flores, brisas e ares.
Tem cozinha aconchegante
Pra felicidade fazer um lanche.
As janelas tem bela vista,
ainda que para muros,
o olhar é que é diferente,
ultrapassa as fronteiras do concreto
Pra atrair todo dia a esperança da nova conquista
Pra renovar no arco-íris de vidraça, a graça no sem-graça.
Tem gente nova dentro da casa
Tem mente nova dentro da casa.
Com coração ardendo pra ser feliz
Tem gente nova fora da casa.
Torcendo que o sossego, o amor e a tolerância
Ditem as regras nessa casa de esmerado aprendiz!

Aqui tem mais sobre Daniela,
aqui também.
imagem: google

segunda-feira, 6 de agosto de 2007

HoMenAGem ao BêBaDo de RaYoL


Sentado sozinho nesse despenhadeiro infeliz
Deixo divagar a imaginação
Vagabundear nesse mundo cão;
Sem a costumeira euforia
Sem pássaro ou vento
Sem ramo seco caindo
Sem moscas posando!
Só a sensação de estar caindo, caindo e implodindo em vômito!

Parece que algo está errado...
Um grito aprisionado ecoa dentro do copo vazio
Sinto falta das tais moscas varejeiras
que há tantas eras me fazem companhia
nesse mundo ébrio, inócuo, cheio de nojeira.

Oh, meus copos e mais copos!
Será que estou em coma alcoólico???


Conheçam Ricardo Rayol em:
Leiam também em primeiríssima mão:Vox Populi, Vox Dei

sexta-feira, 27 de julho de 2007

...VoCê...

Você..
Ponte que me leva do fim à esperança, me mostrando que há mais na vida do que eu mesma sonhava.
Fonte que sacia meu desejo de amar... Navegando em mim e fazendo-me sentir os prazeres do mar.
Primavera de pele em flor, que me faz transpirar sua brisa, que perfuma o perfume do vento quando inspiro e suspiro o ar que você me rouba.
Sol do dia laranjado, de pólem e insetos felizes beijando flores apaixonadas e alegremente férteis, que me prende em teus raios e me emaranha em sua teia de intenso calor.
Você..
Que vive dentro de mim, livre, inteiro, libertou-me para amar desmedidamente e me acorrentou no seu palco de amor.
Você...
Que ilumina a própria luz e estrelas de noites escuras e me aventura na loucura esvoaçante dos seus sonhos brilhantes.
Você..
A pessoa mais linda que o mundo pôde me revelar e me deu embrulhado em copos de leite para amar.
Você..
Que não leva nada, que não deixa nada, que fica, e fica e vai ficando e se misturando a mim ao ponto de eu não mais saber quem sou eu ou quem é você.
Você...
Vento de serena paz, forte, intensa ventania que sopra o frescor da minha calma.
Lua platina, boiando nos meus olhos de céu, encantados de tanto fitar teu olho de mel
Você...
Vida! Que me trouxe a mais fantástica das oportunidades de ser e fazer feliz.
Você...
Meu amor...
Mergulho no infinito, amor inesperado, surpreendente, comovente, que tomou de assalto meu coração e marcou minha alma com seus atos de amor que jamais se perderão.
É você...
Só você.
Sempre você.

Imagem: olhares.com

quinta-feira, 19 de julho de 2007

Da VidA















A vida
Quero pensá-la
Repensá-la
O que mais quero é vivê-la.

Construir castelos,
de areia
de cartas
de dominó
ou de vidro.
Nas praias
Nas nuvens
Nos sonhos
Nos sítios.

Quero da vida o suor, o sal.
Deixar de lado quem se duela
Partir de mãos dadas nos sóis
Caminhando e ouvindo a voz do meu amor na canção.

Que meu risco seja a barriga doendo de tanto riso
a pele ardendo de sol
cair nas garras das boas farras
Tocar, cantar, dançar
Sorrir e chorar
Até ao cair da noite, capotar...

terça-feira, 17 de julho de 2007

cÃo do BeM, HoMeM dO MaL


Leve esse cão sarnento para passear
Despeja sobre ele sua vida trôpega
Seu salário de merda
Seu pão de bolor e comichão

Leve esse cão sarnento para passear
Diga a ele o quanto você foi tolo
Amante das grandes e pequenas mentiras
Enumera quantos você odeia e não esqueça minha nomeação

Leve esse cão sarnento para passear
Confesse a ele o quanto te assombram os fantasmas
dos gigolôs e cafetões, das putas e dos barões, dos padres e Assassinos de aluguel
Gente que você bancou e pelas costas, traiçoeiramente apunhalou

Leve esse homem nojento para passear
Ponha-o na coleira torpe e sua boca na mordaça muda
Ate suas mãos e pés e mostre-lhe um espelho
Priva-lhe da água e alimento, faça-lhe o mesmo tormento.

Se parar um instante para se olhar
Será consumido por seu reflexo pálido e mal
Sujo e pobre de quem sugou a vida
De todo aquele que com ele, inocentemente, se pôs a caminhar.

domingo, 15 de julho de 2007

iNqUiSiÇãO


Olhos fechados..
Assim eu quero permanecer.
Pra sentir um pouco mais de sossego
Pra não me exaurir fugindo do medo.
Olhos cerrados...
Pra não esbarrar nas mazelas
Pra não chorar tanta miséria
Pra fantasiar que a vida ainda pode ser bela.

Olhos calados...
Pra não explodir de tanta raiva
Pra não voar nas caras cínicas e pálidas
Pra não esganar quem me dá ânsia,
nojo e é sempre uma farsa.

- Conte.. 1, 2, 3, 4, 5, 6,... está mais calma??
- sim, acho que sim.
- então pode abrir os olhos.

sexta-feira, 13 de julho de 2007

AsSiM!


Hoje eu quero ficar assim..
Aninhada em teus abraços.
Tamanho certo, abrigo perto.
Quero saborear essa delícia
de saber que não há nada lá fora
que me faça tão feliz quanto você aqui dentro.
Ressaltar várias vezes
que o grande barato da minha vida
Foi encontrar alguém assim,
Tão diferente de mim,
Que se encaixa nas minhas medidas
Medidas de sonhos e planos,
Medidas de música e tons.
Que tem aquilo que me falta.
Que tem falta daquilo que eu tenho.
Emaranhada em teus braços,
Quero sorrir assim
Sem motivo aparente,
Sentindo seu cheiro,
Temperatura e textura,
sabendo que o que mais quis na vida inteira
Foi ter você assim.
Perto de mim assim.
Dentro de mim assim.
Fazendo você feliz.
Assim.
Visitem o Pseudo-Poemas
Tem texto novo, meu e do Ricardo Rayol, lá.

segunda-feira, 9 de julho de 2007

VaLHa-Me DeuS!!

Valha-me Deus!
Pra que tanta mentira?
Valha-me Deus!
Pra que tanto fingimento?
Fingir que é boazinha,
Virginal, doce anjo de voz angelical?
Ah! Pra quê?
Pra que tanto sofisma?
Cada um é dono do seu nariz.
Ninguém me ama menos por causa dos meus defeitos.
Quem me ama,
ama do jeito que sou.
Quem não me ama,
Me odiará sendo eu a melhor das criaturas.
Então, pra que tanto teatro, tanta arte?
Um dia as farsas de revelam.
E se revelam por não mais subsistirem escondidas.
Daí, não se poderá mais culpar ninguém.
O que mais me admira
É a falta de escrúpulo
O carácter duvidoso.
A falta de integridade
O coração cheio de maldade.
Estou mesmo é farta de tanta hipocrisia
e falta de verdade.
Valei-me Deus.
Salvai-me desses lábios mentirosos.
Dessa mente manipuladora.
Desses planos ardilosos.
E desse emaranhado tecido por mãos de dolo.

imagem: google

quarta-feira, 4 de julho de 2007

FaLtA dE ALeNTo.


Tento.
Atento.
Não me contento.
Foi aquém dos meus intentos.

Tento de novo.
Avento à conta gotas.
Ainda não convenço.
O intento não te valeu.

Sento.
Frustrada.
Calada.
Amuada.

Já nem comento
O quanto ansiei por esse momento
Acabou-se sedento
Anoitecendo em mim, só, sem alento.
Texto novo no Pseudo-Poemas
[imagem: olhares.com]

sexta-feira, 22 de junho de 2007

Desejo oculto de Daniela..

Ah!!
Que se dane!
Que se danem as taças, a mesa arrumada.
Os lençóis passados e as toalhas bordadas.
Que se dane a prataria, os panos de prato,
As paredes customizadas e os quadros pintados.
Danem-se mais ainda as fotografias,
todas os pijamas e livros no criado mudo.
Que se dane a cama!
Danem-se as alianças.
Danem-se as juras.
Danem-se as mentiras, diferenças.
Danem-se todas as desculpas de egos.
As justificativas banalizadas
As explicações pouco formalizadas.
Já nem tolero ouvir desculpas..
As tais não mais me deixam insone,
Sequer me inquietam
Nem mais me interesso pelos seus caminhos
Tão pouco me ocupo dos teus pobres chorinhos.

O que eu quero é liberdade.
Liberdade para pensar apenas.
Liberdade para chorar.
Liberdade para ser frágil e calar.
Liberdade de ter um peito para repousar.

O que eu quero é vida.
Vida pulsante
Pungente
Latente.
Vida vivida!
Se sofrida, que seja!!
Não importa!
Quero sentir o pulso, os impulsos!
Livrar-me de vez por todas deste marasmo absoluto.
Desta sorrateira vidinha de cera
Desta capa de gente feliz,
Que se engasga com migalhas de pseudo - amor -
Amor prisão perpétua,
Amor agiota.
A paga me sai muito cara,
E aos montes minha vida se esvai...
Como esta noite fria,
em que limpo a maquiagem da cara
Para deitar - me, novamente,
Ao lado de quem jamais
Me fez sentir gente.
Conheça Daniela
E Conheça mais Daniela

imagem: olhares.com
,m,Foto de A.BE ereito

quinta-feira, 14 de junho de 2007

...Instante...


Eu quero um instante..
Um instante apenas.
Para respirar sem pressa
Para olhar no horizonte
sem ansiar nada de lá,
Apenas olhar e admirar.
Dê-me um instante...
Para sentir na minha pele
o frescor de uma brisa leve
ou até mesmo de uma ventania.
Eu quero um instante...
Para observar os apressados respirarem ofegantes
Nos seus ternos calorentos
Nos seus escarpans apertados.
Ah! Como desejo um instante
Para ver a dança das folhas que caem no outono
Para saborear o instante do nada
Para tocar o inanimado
E degustar o minuto não gastado.
Eu preciso apenas desse instante
Para amar novamente
Para sorrir contente
Para coroar as belezas eternas
Para me livrar dessa vida de pressa que dilacera!
E esse instante
Vai me encher de vigor
de amor, de cor.
E vai me mostrar
Que nessa vida corrida, bandida
Entre tantos pedregulhos
Ainda posso colher e cheirar uma flor!

segunda-feira, 11 de junho de 2007

MilagrE



Hoje eu vi milagres.
Vivi milagres.
Mas o maior deles é a minha própria vida.
Vi uma pessoa com distrofia muscular
desenganada pelos médicos,
uma mãe, que não podia segurar seu bebê nos braços
sequer para amamentar,
eu vi, vi o milagre acontecer,
na minha frente, com os meus olhos,
Ela andou...
Começou com passos lentos e desconjuntados,
ossos atrofiados sendo untados palas mãos de Deus.
Eu vi, vi a mamãe com distrofia quase correndo,
andando tão rápido que beirava o descontrole.
Vi a mãezinha que sequer podia bater palmas
Levantar os braços tortos pela atrofia
e aplaudir ... Aplaudir e chorar...
E adorar a Deus!!!
Eu vi!!
E chorei!
E agradeci tanto a Deus por Ele ser tão grande!!!
Por Ele existir, embora tantos desacreditem.
Vi também uma criança de 13 anos que não me lembro
qual a doença dela, mas ela não andava,
não falava, não entendia nada.
Uma linda menina, cabelos lisos, branquinha,
pés dobrados pra dentro,
e eu vi...
Eu vi a menina se levantar da cadeira
e ir caminhando de um lado pra outro.
Vi a menina atender ao chamado de 'vem',
e segurar a mão de alguém...
Ah! Eu vi... Com esses olhos..
Maravilhas de Deus!!!
Desse mesmo Deus que tantos bradam não existir.
E quem mais poderia mudar o destino de alguém que vivia
o resto dos seus dias??
E quem mais poderia fazer velhinhos saltar largando seus apoios??
E quem mais converteria tanto pranto em riso???
Eu te louvo Senhor, pois tu és Deus!
E pra sempre o serás..
Ainda que tantos te rejeitem...
Eu te louvo e te reconheço como o grande Deus!
Senhor e salvador da minha alma.

terça-feira, 5 de junho de 2007

Vamos listar os casais aqui??

Então gente,
O post de baixo não quer mostrar o link de postagem de modo algum,
então... Vamos tentar nesse..
Casais que fizeram história.
Puxe pela memória e deixe registrado o seu.
Beijos pra todo mundo.

segunda-feira, 4 de junho de 2007

AmoReS QuE FiZeraM HiStóriA!!

Gente... Estamos no mês dos namorados.. Então...
Deixa a melosidade do amor de contagiar..
Listei aqui alguns casais que lembro e que acho legais..
Post no coments o casal que você mais gosta, e conte porquê!!
Bjão pra todo mundo e muito amor!!!
Adão & Eva
Popeye & Olivia Palito
Shrek & Fiona
Professor Giraffales $ Dona Florinda
John Lennon & Yoko Ono
Tarzan & Jane
Lampião & Maria Bonita
Clark Kent & Louis Lane
Peter Park & Mary Jane
Alisson & Anne

Ae galera, vamos participar!
Adicione o seu casal preferido!!!
Estamos no mês dos namorados!
FeLiZ DiA doS NaMoRiDoS!
Ops..
NaMoRaDoS!







segunda-feira, 28 de maio de 2007

É ELE!!!



Hoje o post é dele!!!
Hoje o post é pra ele!!
Porquê???
Hoje é aniversário dele!!!
Alisson Silva!!! O meu amor!!
O homem da minha vida!
Pra ele que me fez entender que as coisas não eram tão complicadas como me disseram antes;
Pra ele que me amou de uma maneira tão incondicional que me comoveu;
Pra ele que lutou por mim com as armas mais limpas e sinceras;
Pra ele que me admira e acredita em tudo que sou e faço;
Pra ele que me trata com muito amor e carinho mesmo quando estou insuportavelmente de TPM;
Pra ele que me faz cosquinhas quando eu estou brigando feio com ele;
Pra ele que faz uma carne moída e arroz exatamente como eu adoro;
pra ele que pega receita de petit gateou na net só pra fazer pra nós dois;
Pra ele que se produz pra me ver;
Pra ele que canta bem alto e toca guitarra fazendo charme pra mim;
Pra ele que implica com minha mania de arrancar cabelos;
Pra ele que me mima e me enche de beijinho e repara quando eu tiro a sombrancelha;
Pra ele que me pediu em casamento com um mês de namoro;
Pra ele que não desistiu de casar comigo mesmo conhecendo várias das minhas chatisses;
pra ele que jura que quer passar o resto da vida do meu lado;
Um feliz aniversário.
Que todos os outros sejam bem pertinho de mim.
Sempre felizes.
Sempre amando.
Sempre sonhando.
E sempre cantanto, que é o que a gente adora fazer!!!!
Te amo amor!!
Minha vidinha!!!